expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

[CRÔNICAS] Aquela paz ...


Gabriela chorava copiosamente em seu quarto. Deitada sobre o travesseiro, ela desejava de todo o coração ter alguém para compartilhar seus pensamentos naquele momento. Ela pega o celular novamente, apenas para perceber que realmente não tem ninguém para ligar. Nenhum amigo sequer.

Ela não deveria estar triste, afinal. Nada de diferente ocorrera-lhe. Ela apenas estava sentada na sala de aula, hoje mais cedo, em uma dia completamente comum, quando olhou para os lados e percebeu que todos conversavam ali. Todos tinham um amigo chegado para conversar no intervalo, enquanto lanchavam. Alguem para te acompanhar quando precisa ir à biblioteca. Ao pensar nisso, ela se lembra de que é dia de renovar seus livros, e desce sozinha até lá. Há algo de inexplicável ocorredo na cabeça dessa jovem, para que ela se sinta assim tão de repente.

Agora ela esta ali, revivendo memórias passadas, e buscando entender a razão de não ser muito dada a ter amigos. O que ela tinha de diferente? Estava realmente sozinha?

Foi então que ela sentiu uma brisa suave passear-lhe os cabelos. Era uma sensação agradável, quase um carinho. Ela olhou com cara de interrogação para a janela, que estava fechada. Por onde entrou esse vento?

Certa vez sua avó lhe disse que o Senhor é como uma brisa suave que vem acalmar o seu dia tempestuoso. Definitavemente o dia de Gabi estava sendo tempestuoso. Uma tempestade de lagrimas. Ela sorriu ao pensar na ideia, pois jamais ouvira falar que Deus andava por ai fazendo visitas pessoais.

"Mas, e se Ele esteve aqui este tempo todo, e eu nunca percebi?"

Ora, Gabi estava mesmo tendo essa conversa consigo mesma? É pouco provável. Ela nunca foi dada a religiosidades. Não é agora que iria se render.

Apesar de achar aquele pensamento absurdo, Gabi começou a se lembrar das férias que passava com a sua avó. Desde pequena elas sempre foram apegadas. Ela adorava conversar com aquela velhinha. A sua velhinha.

Dona Luiza era uma senhora admirável. Ela transmitia paz por onde andasse. Bastava olhar para ela para que voce quisesse desfrutar mais de sua companhia. Gabi, como a primeira neta de dona Luiza, era pra lá de grudada na mulher. Esta a levava para passear na cidade, e até brincava no quintal com ela. Paciência não lhe faltava.

Todos os dias, ao irem deitar, elas liam juntas a bíblia. No início, Gabi apenas escutava, pois não sabia ler. Assim que aprendeu, fez questão de acompanhar todas leituras. Era o ponto alto do seu dia. Sempre que ela dormia com a avó tinha otimos sonhos.

Gabi logo sentiu um forte sentimento inundá-la. Era paz? A paz que ela sempre sentiu ao lado de sua avó? De onde foi que esse sentimento apareceu? Tinha até uma frase que a vovó sempre falava sobre a paz. Tinha a ver com um negócio de oração e tal. Aquele sentimento deixava Gabi confusa, pois, não queria que ele acabasse. Talvez, se ela descobrisse a origem daquela sensação de paz tão reconfortante, ela pudesse fazer algo para que permanecesse. Foi assim que quando se deu conta, ela estava com a bíblia em seu colo, procurando o versícullo favorito de sua avó. Não foi difícil de encontrar.

"Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo Jesus."

A garota encontrou este versículo lá no capítulo 4 de Filipenses. A sensação ao ler aquela passagem foi como se um véu se abrisse diante dos seus olhos. Como se simplesmente agora ela pudesse ver. Paz. Era essa paz que ela precisava desesperadamente. Era esta paz, que ela só encontraria no seu verdadeiro amigo.

Foi fácil ver que Gabriela não conseguiu mais se conter. As lágrimas rolavam dos seus olhos e inundavam todo o seu rosto. Mas agora, eram lágrimas diferentes. Eram lagrimas de quem consegue desvendar um grande segredo. Lágrimas de quem finalmente encontrou a felicidade. Ela tinha um amigo. Ela tinha alguém que se importava muito com ela. Quando viu, Gabi já havia lido todo o livro de Filipenses. Agora, ela corria os olhos com uma fúria contida, lendo com todo o seu calor, os Evangelhos -  como se aquelas palavras fossem tudo o que ela precisava na vida. E de fato, eram.

Ao terminar, as palavras simplesmente saiam da sua boca, como se tivessem uma passagem direta vinda do seu coração. Uma felicidade transbordava do seu peito, e agora ela sabia razão disso. Sabia que não iria nada embora. Ela podia ouvir a voz do seu amigo, transbordando em sua alma.

"Eu estive aqui este tempo todo, minha amada" ela ouvia, sentia essas palavras em seu coração. "Não aguentei ouvir o seu choro, a sua angústia, a sua solidão. Eu gritei de dor, ao ver o seu desespero. Eu clamei que você me ouvisse, e você me ouviu. Gostaria de expressar a você através de palavras, a felicidade que sinto ao ver que você entende isto que estou dizendo. Não sou mais uma parte desprezada dentro de você. Porque eu sempre preferi estar aqui, mesmo sendo ignorado, pois não conseguia desistir de você. Eu tinha esperança de que você iria amar. Eu sei que poderia dizer o quanto eu já te amei, quando me entreguei por você. Mas sabe quando você tem a sensação de que não preciso dizer, a sensação de que você simplesmente já sabe? Eu te amei, e não há prova maior do a cruz. Mas, eu quero falar sobre hoje, sobre nós, sobre o futuro. O futuro que eu tenho para nós. Eu posso te dar o mundo, minha amada. E darei. Mas o que meu coração clama, é que você simplesmente queira a mim, a minha companhia, sem saber o que posso lhe oferecer. Sem pensar que eu sou o dono do mundo. Apenas pensando que eu sou seu e você é minha. Apenas pensando no nosso amor. Muitas pessoas não entendem isso, sabe amada? Acham que este amor profundo e verdadeiro é destinado apenas aos casais apaixonados. Mas não é exatamente isto que nós somos? Você leu hoje, você é a minha noiva. E eu aguardo ansioso a sua chegada. Você não imagina o quanto eu a quero em meus braços. Por favor, entenda o meu amor por você. Ele vai muito além da paixão, e dos amores que você conhece. É um amor muito mais profundo. Eu criei o casamento, a família, para que vocês pudessem imaginar a dimensão do meu amor. Só sabendo como é o amor de um casal é que você tem ideia de uma pequena porção do que eu sinto por você. Eu te amo. Verdadeiramente, completamente, profundamente e eternamente."

Gabi soluçava e se banhava em lágrimas enquanto assentia com a cabeça. Ela sabia que tinha encontrado o que procurava, e que ainda que lhe custasse a vida, nunca mais se afastaria do seu amor.

------------------------------------ * * * ----------- ------------------------- * * * ---------------------- ------------------------

Então pessoal, essa é a primeira de algumas crônicas que pretendo trazer para vocês. Escrever se tornou uma necessidade quase urgente para mim. É a melhor maneira que encontro para expressar os meus pensamentos. Estou aberta às criticas construtivas, por isso, sintam-se a vontade para me dizer: O que acharam?

De Com Amor, Thais.

13 comentários:

  1. Iria ficar muito feliz se o fizesses e até gostava de saber a tua opinião :D

    Não conhecia o teu blog mas estou fascinado e já segui. Revejo-me em imensos conteúdos e tens uma escrita belíssima. Nunca deixes esmorecer este teu sonho, ok?!

    NEW REVIEW POST | Vogue Power Bank
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Voce nao tem noção do quanto essas palavras importam! Muito, muito obrigada mesmo *-*

      Excluir
  2. Olá!
    Você escreve muito bem! Senti uma profundidade imensa nesse texto . Escrever sem sombra de dúvidas é a melhor ''válvula de escape''. A escrita faz com que a gente consiga se expressar de tal forma que não conseguimos quando tentamos dialogar.
    Parabéns pelo texto! Continue sempre assim.
    Abraços!
    http://blogladoescuro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa! Fico muito feliz por saber que há profundidade no meu texto. Sempre foi um dos meus grandes medos - escrever algo superficial. Obrigada mesmo!

      Excluir
  3. Nossa, que crônica linda Thais!
    Muito profundo e muito edificante também :D
    Amei seu blog! Vou visitá-lo mais vezes :)
    Beijinhos ;*
    http://ideiascoloridas.tumblr.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada florzinha! Fico muito feliz que tenha gostado :)

      Excluir
  4. Ahhq que lindo que eu acho esse dom de escrever, é uma forma linda de expressar os sentimentos mais profundos !
    O amor de Deus é lindo, grande, puro e insubstituível !
    Que Deus te abençoe são edificantes seus textos!
    Beijos ♡ O Melhor de Mim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tb adoro escrever! Acho um dom maravilhoso *-* Obrigadaaa pelo comentário!

      Excluir
  5. garota vc escreve muito bem, poderia escrever um livro
    www.byanak.com.br

    ResponderExcluir
  6. Uauuuuu que texto lindo!! Parabéns Thais! Seu blog está maravilhoso!

    ResponderExcluir
  7. Uauuuuu que texto lindo!! Parabéns Thais! Seu blog está maravilhoso!

    ResponderExcluir
  8. Nossa que linda crônica, fala tão profundamente, o amor de Deus é tão lindo! Parabéns!

    ResponderExcluir